Fórum de Movimentos Sociais discute participação do PCdoB no FSM

O Fórum Estadual de Movimentos Sociais do PCdoB se reuniu, nesta quarta-feira (07/02), em Salvador, para discutir a participação do partido no Fórum Social Mundial (FSM), que este ano vai ser sediado na capital baiana, entre os dias 13 e 17 de março. A participação na atividade, que reúne lideranças de todo o mundo, é considerada prioridade para o coletivo partidário.

O primeiro encontro serviu para definir os objetivos da participação no evento, catalogar as discussões prioritárias e pensar a proposição de novos debates. Quatro atos foram considerados prioritários: a marcha de abertura (dia 13), o ato Democracia com Lula (com Mujica, Christina Kistner, Evo Morales e outras lideranças regionais, no dia 15), a Assembleia Mundial das Mulheres (dia 16) e a Assembleia Mundial dos Povos, Movimentos e Territórios em Resistências (dia 16).

Segundo Marcelo Gavião, secretário estadual do PCdoB, a ocasião será uma excelente oportunidade para denunciar ao mundo, principalmente, o conturbado cenário político brasileiro. “Para nós, aproveitar o Fórum Social Mundial para fazer essa denúncia do golpe e da falta de democracia que impera na política nacional é fundamental”.

Além da defesa do direito de Lula ser candidato nas eleições deste ano – que inclui a defesa de eleições democráticas e do Estado de Direito -, o PCdoB também levará outros eixos políticos que considera fundamentais ao encontro. São eles: a luta pela paz (que inclui defesa da soberania dos povos, denúncia das bases militares e da agressão imperialista aos países não alinhado, etc.) e a denúncia ao avanço do neoliberalismo global.

A quase um mês da realização do FSM, o encontro dos dirigentes do PCdoB é um pontapé para a mobilização dos militantes comunistas, que têm tradição de participação nas últimas edições. “Agora, principalmente, vamos incentivar a militância a mobilizar, a se inscrever, tanto do ponto de vista local quanto nacional”, afirmou Aurino Pedreira, secretário estadual Sindical.

A presença de Manuela D’Ávila, pré-candidata à presidência da República, é aguardada para o FMS. “Nós estamos começando a ajustar e, agora, é mobilizar o partido, os dirigentes, os militantes para que a gente possa ter uma grande presença”, finalizou Marcelo Gavião.

 

Textos Relacionados
Deixe seu recado