Presidente do PCdoB-BA condena militância política no Judiciário

O presidente estadual do PCdoB na Bahia, Davidson Magalhães, manifestou preocupação com o imbróglio em torno da prisão de Lula, que foi agravado no último domingo (08/07), com o impedimento da soltura do ex-presidente, mesmo com a decisão de um desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Para Davidson, os fatos engrossam a evidência da crise institucional que o Brasil vive, pela “militância política explícita na Justiça”.

“O Judiciário passou a ser um espaço de militância política, ao invés de ser um espaço de assegurar ao povo brasileiro o respeito à Constituição Federal e às leis”, analisou o presidente do PCdoB-BA. Ele teceu críticas, especificamente, ao juiz Sérgio Moro, da primeira instância da Justiça Federal, que, mesmo de férias, interferiu no cumprimento da decisão do desembargador plantonista Rogério Favreto, que decretou a soltura de Lula, a partir da provocação de um Habeas Corpus.

Para Davidson, não restam dúvidas sobre a militância de Sérgio Moro para beneficiar os partidos mais identificados com os grupos de direita, especificamente o PSDB. “Um juiz amigo dos tucanos, um tucano de carteirinha, que é o Moro, que anda desfilando no mundo todo em coquetéis com os tucanos, de férias, juiz de primeira instância, bloqueia uma decisão de um desembargador. Isso é um absurdo”, completou.

Davidson Magalhães ainda avaliou que, neste cenário, há uma demonstração clara de que Lula é um preso político e de que a democracia está sendo violada no Brasil, tal como no período da ditadura militar (1964-1985). O que justifica a perseguição a Lula, segundo ele, é uma inconformidade dos grupos antiesquerda com as pesquisas de intenção de voto, que colocam o ex-presidente como favorito na disputa pela presidência da República, nas eleições deste ano.

“A perseguição que existe no Judiciário brasileiro, através da elite brasileira, é porque nas urnas [os grupos políticos contrários à esquerda] não conseguem derrotar o ex-presidente Lula e todas as forças de esquerda”, explicou o presidente do PCdoB-BA. Mesmo com uma pré-candidatura própria à presidência da República, o Partido segue na luta pela liberdade de Lula por entender que o ex-presidente está acima de disputas eleitorais, ainda segundo Davidson Magalhães.

Textos Relacionados
Deixe seu recado