ACM Neto suspende negociação com professores; APLB cobra respeito

O prefeito de Salvador, ACM Neto, suspendeu, mais uma vez, um encontro com os trabalhadores municipais da educação para negociar a pauta de reivindicações da categoria. O prazo para realização da reunião terminou na última quinta-feira (10/11), mas os representantes da Prefeitura desmarcaram, depois de ‘cobranças de confirmação de horário’ da APLB-Sindicato, que cobrou respeito à classe, depois do episódio.

Em nota, a APLB explicou que uma das pautas do encontro é uma proposta de um vereador aliado do prefeito, Alexandre Aleluia (DEM), que prevê a exclusão do método de Paulo Freire nas escolas do município. “Não aceitaremos nenhuma imposição nas nossas escolas que possibilite o cerceamento do pensamento e da liberdade de expressão, bem como a negação das ideias do grande educador Paulo Freire, patrono da educação brasileira!”, diz um trecho do texto.

Para a direção do sindicato, ACM Neto faz uma gestão próxima do que tem feito o presidente da República para a educação. “Lamentavelmente, essa é a agenda seguida pelo Prefeito de Salvador, por ser um grande aliado do Bolsonaro!”.

Leia a íntegra da nota

Surpresa, indignação e protesto! Esse é o sentimento dos trabalhadores em educação, pelo fato do Executivo Municipal suspender, mais uma vez, a negociação com a educação, cujo prazo dado era até hoje, 10 de outubro. A direção da APLB-Sindicato tem cobrado insistentemente a confirmação do dia e horário, entretanto, à resposta foi negativa. A falta de respeito do Executivo Municipal para com os servidores é inaceitável!

Aprovamos na assembleia que todos devem estar alertas para fazermos uma vigília no dia da negociação, ainda que tenhamos um feriadão pela frente, assim como considerar os cuidados necessários, dado o movimento paredista de parte da PM. Portanto, a assembleia, precedida de reunião de representantes, e ações conjuntas com os demais servidores, deverá ocorrer na próxima semana.

ACM NETO: O PREFEITO DO TIRA, MAS NÃO DÁ!

Alertamos que vamos adotar a estratégia de desobediência civil, caso o prefeito sancione o projeto de lei que acaba de ser aprovado pelos seus seguidores na Câmara de Vereadores, de autoria do bolsonarista ultradireita, Alexandre Aleluia.

Não aceitaremos nenhuma imposição nas nossas escolas que possibilite o cerceamento do pensamento e da liberdade de expressão, bem como a negação das ideias do grande educador Paulo Freire, patrono da educação brasileira!

Denunciamos aqui mais um ataque contra os trabalhadores! Ao invés de incentivar servidores a realizarem doação de sangue para salvar vidas, o prefeito reduz de três dias para um dia o abono de faltas, medida essa publicada ontem, dia 09/10/2019, por meio da LC nº 072/2019, alterando o Art. 135, da LC nº 01/91.

NOSSA LUTA É COTIDIANA!
Trabalhador não deve se furtar da luta na defesa dos seus direitos, da sua dignidade, de um país livre, soberano e democrático. E para nós, que vivemos um período de profundos ataques, cujo ministro atenta vergonhosamente contra a educação, é inadmissível!

Lamentavelmente, essa é a agenda seguida pelo Prefeito de Salvador, por ser um grande aliado do Bolsonaro!

EXIGIMOS RESPEITO!
LUTAR SEMPRE! DESISTIR, JAMAIS
APLB- SINDICATO: SEMPRE NA LUTA!

Textos Relacionados
Deixe seu recado