Ceuci Nunes sobre Covid-19: “Precisamos da solidariedade da população”

 

 

De janeiro até esta quinta-feira (19/03), a Bahia registrou 998 casos notificados com suspeita clínica de infecção pelo novo coronavírus, a Covid-19. Destes, 30 já foram confirmados, 443 foram descartados e 525 ainda aguardam análise laboratorial.

Neste cenário de pandemia, com registrados de mortes em outros estados, a médica Ceuci Nunes, diretora do Hospital Couto Maia, referência na Bahia no tratamento de doenças infecciosas, tem atuado diuturnamente no combate ao vírus. Para ela, a solidariedade da população é essencial neste processo.

Ceuci tem insistido, principalmente, na importância da prevenção, que, no caso do coronavírus, “não é nada de outro mundo: é a intensificação dos nossos hábitos de higiene”. Ela também destaca a necessidade de evitar ir a instituições de saúde, de modo a não provocar a superlotação e mais contaminação.

Separamos os principais trechos de um vídeo produzido pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) em que a médica fala sobre a doença e dá dicas de como combatê-la. Confira:

 

Covid-19

O coronavírus, na verdade, não é um único vírus, mas um grupo de vírus que se originou em animais e que pode se modificar e contaminar o homem. A gente tem duas experiências com coronavírus: foram duas epidemias de doenças graves, com a SARD, em 2002, e a MERS, em 2013. Agora nós estamos tendo essa pandemia com esse novo coronavírus, que mutou. A diferença em relação aos anteriores é exatamente essa mutação. Ele é um vírus novo, não é um coronavírus que já circulou na humanidade e que por isso ele pode afetar muitas pessoas.

Vacina

Não existe vacina para o coronavírus especialmente. É importante a gente não ter expectativa de que a vacina vai surgir num período muito curto. A produção de uma vacina precisa em torno de um ano e também a produção vai ser necessária para todo o mundo, que é muito grande. Então, a gente não pode ter essa expectativa, mas é bom lembrar que existe vacina para influenza sazonal, como H1N1, e essa vacina deve ser tomada porque o quadro pode ser muito semelhante e essa vacina é distribuída gratuitamente para determinados grupos de risco no posto de saúde e é importantíssimo que as pessoas tomem.

Sintomas

Os sintomas do coronavírus são como se fosse uma síndrome gripal: febre, tosse, espirro e alguns sintomas respiratórios e os casos mais graves, que vão acontecer em idosos imunodeprimidos e em pessoas que têm outras doenças, pode acontecer uma insuficiência respiratória e essa pessoa pode chegar a precisar de uma ventilação mecânica.

Prevenção

A prevenção do coronavírus não é nada de outro mundo: é a intensificação dos nossos hábitos de higiene. A transmissão se dá principalmente pela secreção respiratória, pelas gotículas quando você espirra ou tosse. Então, é importante que você faça a toalete respiratória: quando tossir ou espirrar, você tem que colocar a dobra do cotovelo [no rosto] e outra possibilidade também é utilizar um lenço descartável, que deve ser jogado no lixo após o uso e, imediatamente depois, lavar as mãos. Com a mão, você pode contaminar a superfície que outras pessoas vão pegar.

Cuidados

Outra coisa importante é a higienização do celular e de todos os objetos que você teve contato. As pessoas que chegaram de viagem de um país ou estado brasileiro, como o Rio e São Paulo, que já têm caso comunitário, e tiverem algum sintoma respiratório, se for uma coisa leve, que não está atingindo gravemente a sua saúde, fiquem em casa. Nós precisamos evitar ir às instituições de saúde nesse momento. Primeiro, porque você vai sobrecarregar as instituições de saúde. Segundo que você tem um risco de entrar em contato com o coronavírus nessas instituições.

Solidariedade

Nós precisamos hoje principalmente proteger nossos idosos, as pessoas que já têm alguma doença, com diabetes, doença do coração, doença renal, doença pulmonar e os imunodeprimidos. Essas pessoas precisam ter a solidariedade da população. Elas precisam ficar em casa e não devem ser visitadas por ninguém que esteja com algum sintoma respiratório. As pessoas que estão com doença leve também não devem ir ao serviço de saúde, mas utilizar a lavagem das mãos muito, muito frequentemente e a limpeza da superfície que toca.

Textos Relacionados
Deixe seu recado