Daniel Almeida: Classe trabalhadora é um setor que não para de perder

Perda de direitos, desmontes, Reformas Trabalhista e da Previdência foram temas debatidos durante live no Instagram, na última quarta-feira (03/06), entre o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB/BA) e o secretário Sindical do PCdoB na Bahia, Aurino Pedreira. O parlamentar baiano destacou os inúmeros retrocessos aos trabalhadores desde o impeachment da presidenta Dilma.

“Tem um setor que não para de perder é a classe trabalhadora. Houve um intenso processo na desidratação da estrutura sindical, com a tentativa de tirar os sindicatos das negociações entre patrões e empregos. Mas, neste período de pandemia estamos trabalhando muito para tentar minimizar os efeitos negativos destas decisões. A Medida Provisória 936, aprovada na Câmara e que está sendo discutida no Senado, atendou vários danos, manteve, por exemplo, a desoneração da folha de pagamento para vários setores estratégicos. Tem uma emenda que encaminhei e foi aceita e está no projeto para empresas tipo a Ford tenha incentivos fiscais, desde que mantenha um patamar de produção e empregos”, afirmou Almeida.

O encontro reforçou a necessidade de um amplo planejamento para a retomada da economia, com a devida segurança para não acontecer uma nova onda de contaminação e assegurar a proteção da vida das pessoas. Aurino Pedreira criticou a postura do presidente Bolsonaro que aposta no caos, enquanto milhares de óbitos que acontecem no Brasil, tornando o país o novo epicentro da doença no mundo. “Bolsonaro é um presidente genocida, que responsabilizar prefeitos e governadores criando uma crise ainda maior. Enquanto isso, os sindicatos têm desempenhado um papel muito forte e firme negociando com as empresas essas medidas de proteção aos trabalhadores”.

O dirigente sindical destacou que existe uma possibilidade de retomada das atividades de empresas que adotaram o isolamento social, com muita cautela, com muita negociação e prudência. “Uma coisa a pandemia apresentou a todos nós, sem o trabalho o mundo não gira, a economia para. Todos os olhares do movimento sindical apontam em duas vertentes: o cuidado com a saúde e a manutenção dos empregos. Defendemos a necessidade ainda do isolamento social, pois existe a possibilidade do aumento da contaminação e consequentemente do aumento de óbitos”, disse.

O deputado Daniel encerrou o bate-papo ressaltando a criação de uma frente ampla isolando Bolsonaro e erguendo as bandeiras de luta na defesa da vida, da ciência, da educação, dos empregos e da democracia. “Através da mobilização popular legítima podemos garantir da forma mais rápida e menos traumática ficar livre da pandemia. Mas é um momento que requer análise do cenário atual”, concluiu.

 

Fonte: Ascom/Daniel

Textos Relacionados
Deixe seu recado