Davidson: Bolsonaro estimula concentração de renda e desigualdade

O presidente do PCdoB na Bahia, Davidson Magalhães, usou as redes sociais, nesta terça-feira (28/07), para criticar a postura de Jair Bolsonaro na condução da crise econômica e de trabalho que se agrava no Brasil, nesta pandemia. Para Davidon, Bolsonaro tem atuado para estimular, ainda mais, as disparidades sociais no país.

“Bolsonaro estimula a concentração de renda e a desigualdade social, afetadas ainda mais pela pandemia. Já somos 50 milhões de pobres, 13 milhões na extrema pobreza, 20 milhões de desempregados, 38 milhões na informalidade, 30 milhões com meio salário mínimo por mês”, escreveu o presidente do PCdoB-BA no Twitter.

Davidson ainda defendeu a urgência de uma reação da sociedade a Bolsonaro, como forma de impedir o agravamento da crise. “Com Bolsonaro, estamos à beira de um precipício. As forças democráticas precisam reagir. Até quando, Brasil?”, indagou o comunista, que também é titular da Secretaria Estadual de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

Na última segunda-feira (27), o governador maranhense Flávio Dino, também do PCdoB, enviou a Bolsonaro uma sugestão para a construção do Pacto Nacional pelo Emprego, mas a proposta foi ironizada pelo presidente da República.

Textos Relacionados
Deixe seu recado