Decreto da Prefeitura de Camaçari permite demissão em massa na Ford

O Sindicato dos Metalúrgicos e os trabalhadores foram surpreendidos com uma decisão da Prefeitura de Camaçari, que estimula a demissão em massa no Complexo Ford. O decreto municipal, publicado no diário oficial do município no dia 31 de janeiro, que trata da concessão de isenção fiscal à montadora, pelo prazo de cinco anos, estabelece que a Ford pode demitir até 25% do quadro de funcionários que não perderá os incentivos fiscais.

O decreto diz: “Perderá os benefícios concedidos, retroativamente, caso a empresa, limitado ao período de concessão, caso a empresa, durante o período de gozo dos incentivos fiscais, encerre as suas atividades no município ou reduza em mais de 25% os postos de trabalho, tomando como base o quantitativo de 4 mil funcionários”.

Na prática, tomando como base somente a empresa Ford, que tem cerca de 4 mil funcionários do setor operacional, o decreto da Prefeitura permite que a Ford demita 1.250 trabalhadores, sem que perca os benefícios por causa disso. Um absurdo. Isso, sem dúvida, abre brecha para uma ampliação ainda maior das demissões. Já pensou se passa a valer para todo o Complexo Ford, que tem cerca de 10 mil funcionários? Seriam 2.5 mil demitidos.

Para o Sindicato, desta forma, a Prefeitura estimula a demissão em massa não apenas na Ford, mas nas empresas do setor de autopeças, provocando uma grande insegurança e medo na classe trabalhadora, diante de um quadro já grave de desemprego na cidade e toda Região Metropolitana.

Assim, a Prefeitura, ao invés de combater o desemprego, acaba por incentivar a demissão em massa, sem qualquer consequência para a Ford.

O Sindicato, por sinal, já considera demissão em massa a dispensa a partir de 1% dos funcionários. Então, a taxa de 25%, como permitiu a Prefeitura, é um disparate contra os trabalhadores, pois escancara a demissão em massa.

Por isso, o Sindicato tem lutado para garantir o emprego dos trabalhadores, dentro e fora do Complexo Ford. “Não podemos admitir que a própria Prefeitura dê carta branca para a Ford demitir em massa. É uma decisão perigosa e que só piora a situação dos trabalhadores na cidade. Na verdade, essa era hora de assegurar a empregabilidade, incentivar a geração de emprego e renda, e não permitir o aumento do desemprego”, explica Júlio Bonfim, presidente do STIM Camaçari.

 

Via STIM Camaçari

Textos Relacionados
Deixe seu recado