Encontro aborda política para juventude e Campanha de Estruturação Partidária

Neste sábado (14/09), o PCdoB-BA juntou-se à jovens comunistas e dirigentes das cidades consideradas estratégicas para um debate sobre a estruturação partidária e a aplicação da política nacional de juventude. A reunião aconteceu em Salvador, no auditório da Assufba (Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação das Universidades Públicas Federais no Estado da Bahia).

Antes da apresentação do documento “Campanha de Estruturação Partidária do PCdoB-BA- 2019/2021”, uma das pautas do dia, o presidente estadual do partido, Davidson Magalhães, falou sobre a atual situação política nacional e internacional, a crise que estamos enfrentando e os rumos que o Brasil deve tomar nos próximos anos. Para ele, o discurso de nacionalismo de Bolsonaro é uma bazófia e este é o governo mais entreguista da história.

“A tendência no país com as medidas liberais é o aprofundamento da crise. Não há investimento público, com desmonte dos diversos programas sociais. A situação é grave. O Brasil caminha para uma desestruturação com a agenda ultraliberal, com desmonte generalizado”, disse. Segundo Davidson, para implementar uma agenda obscurantista, o governo tenta destruir a ciência e a tecnologia nacionais.

Outro ponto preocupante é como enfrentar o governo.  “A correlação de forças do país não permite que haja estreiteza política. Enfrentar a extrema direita é diferente de enfrentar a direita tradicional. É necessária uma frente ampla, sem sectarismo, em torno de bandeiras políticas concretas para combater o bolsonarismo”, completou Magalhães.

Apesar de haver vitórias importantes, como a CPI da ‘Vaza Jato’, ainda há um longo caminho a ser percorrido. No que diz respeito ao fortalecimento do PCdoB, o presidente afirma: “Precisamos preparar o partido para esse novo momento, na organização, na formação, na comunicação. Há uma subestimação do papel do partido que precisa ser superada”, ponderou.

Estruturação

De acordo com secretária estadual de organização, Daniele Costa, é preciso também demonstrar para a sociedade as diferenças do nosso partido com outros partidos de esquerda e afirmar nossa própria identidade. “Não somos um partido que se organiza apenas para as eleições. A nossa presença no parlamento é importante, devemos ampliar nossas bancadas, como também nos espaços do executivo”, disse. Além disso, Daniele crê que o PCdoB deve persistir no planejamento integrado envolvendo a ação política – massas, eleitoral, instituições do Estado e luta de ideias- e comunicação, finanças, formação e organização. “Com disposição e ânimo, devemos enfrentar o desafio de construir as conferências municipais e fortalecer o partido em cada município, elegendo as novas direções com a renovação necessária”, defendeu.

Juventude

O secretário estadual Juremar Oliveira apresentou o documento sobre a política do partido para a juventude e destacou o engajamento dos jovens, que desejam conversar sobre o momento político atual e que estão propensos a se organizar. “Precisamos filia-los à UJS e ao PCdoB. As Conferências podem servir a este objetivo. Nas universidades, devemos fazer debates públicos do PCdoB e convidar essa juventude que está querendo saber como resistir aos ataques de Bolsonaro aos seus sonhos”, finalizou Oliveira.

Textos Relacionados
Deixe seu recado