Julieta Palmeira recebe honraria pela luta em defesa das mulheres

 

A campanha “Respeita as Mina”, instituída pela Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres (SPM), tem sido uma forte aliada do combate à violência contra as mulheres na Bahia, extrapolando o foco inicial de ações contra o assédio no Carnaval. E é com essa estratégia de gestão que a titular da SPM, Julieta Palmeira, tem percorrido o estado em uma verdadeira cruzada em defesa das mulheres.

Por essas e outras iniciativas, e por sua trajetória de lutas contra as desigualdades, a médica geriatra foi homenageada com a Comenda Maria Quitéria, pela Câmara Municipal de Salvador, na noite desta segunda-feira (3), por indicação da vereadora Aladilce Souza (PCdoB).

“A sua gestão à frente da SPM, especialmente nesse momento de retrocesso, está sendo uma grande trincheira de luta para as mulheres contra a violência e pelo empoderamento”, disse a vereadora. Segundo ela, a ação tem ainda mais impacto diante das estatísticas do estado sobre crimes relacionados ao machismo e à misoginia.

Além disso, frisou Aladilce, desde o movimento estudantil Julieta Palmeira, militante e dirigente do PCdoB, “dedica sua vida à defesa da liberdade, da democracia e do ideal socialista”. A honraria, segundo ela, não poderia ser mais adequada: “A Medalha Maria Quitéria tem tudo a ver com Julieta, outra guerreira, destemida, determinada. Uma mulher que driblou o machismo para contribuir com a sua força de mulher, com a luta pela liberdade de homens e mulheres, pela independência do nosso país”.

Protagonismo

A importância da luta por igualdade de gênero foi destacada por Julieta Palmeira no discurso de agradecimento da honraria: “O protagonismo feminino é o que está sendo homenageado aqui em meu nome. Dedico esta honraria, que muito me honra por representar Maria Quitéria, a todas as mulheres”.

Julieta, que é natural de Vitória da Conquista e foi a primeira mulher a dirigir uma empresa estatal na Bahia, a Bahiafarma, considerou a violência de gênero uma questão de saúde pública, que ameaça a vida de muitas mulheres. Julieta frisou que a luta das mulheres é de resistência e estruturante, passando pelo enfrentamento ao machismo e ao racismo, pela retomada da democracia no país. E pregou a construção de uma “ampla frente que mobilize a Nação contra o congelamento de investimentos para a saúde e a educação por 20 anos”.

Julieta Palmeira foi conduzida ao Plenário Cosme de Farias, ao som do grupo A Mulherada, pela vereadora Marta Rodrigues (PT) e pelo vereador Hélio Ferreira (PCdoB), além do ex-vereador Javier Alfaya e dirigentes do PCdoB. Apresentaram-se em homenagem à secretária também a cantora Juliana Ribeiro, o cantor e compositor Carlos Pita (natural de Feira de Santana, terra de Maria Quitéria) e a poetisa Jocélia Fonseca, que declamou texto de Elisa Lucinda.

Compuseram a mesa da sessão solene a deputada federal Alice Portugal (PCdoB); o reitor da Ufba, João Carlos Sales; o secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, representando o governador Rui Costa; a secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis; a ex-vereadora Olívia Santana, deputada estadual eleita; Haroldo Lima, dirigente nacional do PCdoB; Davidson Magalhães, presidente estadual do partido; e a médica Ceuci Nunes, que saudou a homenageada em nome dos amigos.

Além da comenda Julieta Palmeira recebeu flores das mãos de Rose Freitas, representando a equipe da SPM, e das colegas Maria Etiene Oliveira e Janice Barreto, do Médicos pela Democracia. Os irmãos da homenageada, Marlúcio, Ulisses, Elisabete e Sandra participaram do ato de entrega da honraria.

 

Fonte: Ascom/ Câmara

Textos Relacionados
Deixe seu recado