Manifestação em Salvador denuncia o racismo e o fascismo

 

Assim como Brasília e São Paulo, Salvador teve uma manifestação, neste domingo (07/06), contra o fascismo e o racismo. Os atos representam uma demonstração de apoio aos protestos nos Estados Unidos contra o assassinato de um homem negro por um policial branco, e de indignação contra as ações do governo Bolsonaro, consideradas fascistas.

A manifestação na capital baiana teve concentração na região do Iguatemi, uma das principais da cidade. Com pedidos de respeito à democracia e de saída do presidente, os manifestantes lembraram dos ataques de Bolsonaro às instituições e da inabilidade dele para lidar com a pandemia do coronavírus.

No ato, também houve críticas à polícia militar brasileira, a partir da recente morte de João Pedro, no Rio de Janeiro, e também pedidos de justiça para o menino Miguel, que morreu após cair do prédio da patroa, que estava sob a responsabilidade dele, no Recife (PE).

“As pessoas que estão nas ruas gritam pela vida, seja porque o presidente é irresponsável no tratamento do coronavírus em nosso país ou porque a polícia militar é racista. Precisamos impedir que o fascismo circule nos quatro cantos do nosso país”, disse Marianna Dias, presidenta estadual da União da Juventude Socialista (UJS-BA), presente na atividade.

A torcida do Esporte Clube Bahia também no ato. Onã Rudá, da LGBT Tricolor, garantiu que os cuidados de distanciamento e de uso de máscaras foram seguidos, e que ir às ruas foi necessário para mostrar resistência. “Queremos demonstrar a nossa insatisfação política neste momento e tentar unificar essa luta contra o governo Bolsonaro”, disse.

Textos Relacionados
Deixe seu recado