Masculinidade tóxica é tema de campanha do Governo da Bahia

O Governo da Bahia lançou, nesta terça-feira, uma campanha com foco na masculinidade tóxica. A campanha faz parte faz parte da ação Respeita as Mina de enfrentamento à violência contra as mulheres, que tem como objetivo sensibilizar a população para o combate à cultura machista e marca também os oito anos da Secretaria de Políticas para as Mulheres do estado da Bahia (SPM-BA).

A campanha conta com outdoors, mídia eletrônica e digital, entre outras peças. Um vídeo que está sendo produzido vai abordar o ciclo da violência doméstica e familiar e a relação com o padrão de masculinidade hegemônico.  “Antes do tiro, o tapa. Antes do tapa, o grito. Antes do grito, o controle. Antes do controle, o machismo. Antes do machismo, a masculinidade tóxica”, pontua.

A masculinidade tóxica é definida por especialistas como uma ideia de masculinidade, construída socialmente, que considera a força, a agressividade, como virtudes do homem, enquanto as emoções e sentimentos são considerados fraquezas típicas das mulheres. Quem nunca ouviu expressões como: “homem não chora”; “homem que é homem não leva desaforo pra casa”. São frases representativas de um padrão de masculinidade que estimula comportamentos agressivos.

A masculinidade tóxica faz mal não apenas às mulheres, mas aos homens que por vezes sofrem ao se perceber fora do padrão estabelecido como o ideal. O propósito da campanha é estimular o debate e contribuir para que os homens se permitam viver uma nova masculinidade. Por isso a campanha terá também o site: www.masculidadenova.com.br com artigos, depoimentos e informações de utilidade pública.

 

Fonte: SPM-BA

Textos Relacionados
Deixe seu recado