Notícia

Grupos culturais se reúnem na Caminhada Raízes da Bahia

25 janeiro, 2016

O Dique do Tororó, em Salvador, vestiu-se com as cores e vibrou com os sons e ritmos das manifestações tradicionais da cultura popular de todo estado. No domingo (24/1), mais de 1.200 artistas participaram da Caminhada Raízes da Bahia, quando 36 grupos culturais da capital, Região Metropolitana, Recôncavo, Sertão e Baixo Sul exaltaram a pluralidade da cultura de matriz popular com propósito de revitalizar e difundir as manifestações culturais.
“A cultura popular reúne tudo aquilo que expressa a alma da Bahia. Ela é a base, é a raiz. Então, estamos reunidos aqui para mostrar a essa população urbana a verdadeira riqueza da diversidade cultural do estado”, afirmou o secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal. Ao seu lado, o compositor, cantor e instrumentista Roberto Mendes destacou a importância da iniciativa. “É importante que a Caminhada cresça e seja realizada todos os anos”, disse, enquanto assistia às apresentações de fanfarras, quadrilhas, filarmônicas, grupos de dança e blocos de brincantes que ocuparam as ruas do Dique.
caminhada_3A Caminhada Raízes da Bahia foi dividida em cinco alas, separadas por cores. Em quatro delas, o público conferiu manifestações como o samba de roda, grupo de mascarados, terno de reis, chegança, entre outros. A quinta e última ala, intitulada Ouro Negro, reuniu representantes de manifestações culturais e entidades de matriz africana, a exemplo dos blocos Apaches do Tororó e Malê Debalê, com direito a uma autêntica bateria. Ao fim da Caminhada, o público assistiu ao show de encerramento, com as Ganhadeiras de Itapuã, grupo tradicional que, em 2015, foi vencedor do Prêmio da Música Brasileira.
O cortejo trouxe grupos de dança, como o Balé Folclórico da Bahia e a Quadrilha Junina Forró Asa Branca, de Salvador. Também participaram a Filarmônica Filhos de Apolo, de Santo Amaro, blocos de brincantes e carnavalescos como Folia Mamulengos e Trança Fita – Filó Brincante e muitos outros.
 
Parcerias
Na ocasião, a Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) promoveu uma Oficina de Dança Afro. Já a Secretaria do Trabalho, Emprego e Esporte (Setre) montou uma Feira de Economia Solidária, que reuniu oito empreendedores em barracas de comercialização de artesanato e alimentos. Em outra ação, 30 catadores de cooperativas recolheram resíduos sólidos, como latinhas de alumínio e material PET descartados pelo público. O material será reciclado, gerando renda para os catadores e suas famílias.
Já a Secretaria de Educação montou um estande de confecção de turbantes, produzidos sem nenhum custo para o público por representantes dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC). Antecipando uma ação que será realizada no Carnaval, a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial levou para a Caminhada o serviço do Centro de Combate ao Racismo de Intolerância Religiosa Nelson Mandela. Uma equipe circulou entre o público com formulários para identificar vítimas da discriminação. Os técnicos também ofereceram orientação denúncias contra o preconceito racial.
Com agências

PCdoB - Partido Comunista do Brasil - Todos os direitos reservados