Notícia

PCdoB quer dobrar o número de vereadores em Salvador

19 janeiro, 2016

 
Com o nome da deputada federal Alice Portugal para a disputa da prefeitura de Salvador, o PCdoB também já tem sua chapa de pré-candidatos à Câmara Municipal definida. Se em 2012 só elegeu Aladilce Souza e Everaldo Augusto, no próximo mês de outubro o objetivo é elevar esse número para até quatro, conforme aponta a presidente do partido em Salvador, Olívia Santana, que também é secretária estadual de Políticas para as Mulheres (SPM). “Para o Legislativo, nós temos uma chapa com 60 nomes como a vereadora Aladilce Souza, o nosso vereador Everaldo Augusto, outros nomes dos movimentos sociais com força, com projeção, e acredito que já temos uma chapa proporcional competitiva”, destacou a ex-vereadora, que nega ter interesse em voltar a disputar uma cadeira na Câmara de Salvador.
“Nossa perspectiva é aumentar, eleger três vereadores, quatro, quer dizer, a conjuntura política e o grau de disputa é que vão definir com quanto nós sairemos das urnas. Entretanto, o PCdoB tem a firme determinação de ampliar a sua bancada apresentando projeto próprio que possa emergir desse bloco de forças políticas”, explicou Olívia.
Segundo a dirigente partidária, no cenário da disputa pelo Executivo da capital baiana, o partido também já avançou nas definições e agora busca arrumar a composição de aliados com a deputada Alice Portugal. “O importante é que o PCdoB já superou as etapas de discussão e identificação de que nome nós vamos apresentar a Salvador. Acredito que o PCdoB saiu na frente porque já realizou todo o seu processo de debate interno sobre a composição da chapa de vereadores, sobre a nossa candidatura para a prefeitura. O principal já definimos. Agora é garantir que mais nomes possam vir agregar para candidaturas proporcionais e atrair outros partidos para fazer a composição em nossa chapa majoritária com uma candidatura à vice tendo a nossa candidata a prefeita Alice Portugal”, disse a secretária, que aponta quais legendas já foram sondadas.
“Estamos dialogando com diversos partidos, especialmente os da base aliada do governo do estado. Dialogamos com PT, PSB, estamos buscando o PSD e outras forças. Acredito que é natural, essas questões só devem ser definidas perto da eleição”. Para a dirigente comunista, o projeto do partido na disputa pelo Palácio Thomé de Souza visa mudar a forma de olhar para os menos favorecidos: “Nós temos uma cidade ainda marcada pela pobreza, pela falta de perspectiva de emprego”.
 
Fonte: Tribuna da Bahia

PCdoB - Partido Comunista do Brasil - Todos os direitos reservados