Notícia

Professores na Bahia dão aulas de preto em apoio a colegas do PR

5 maio, 2015

professores apoio ao Paraná

Docentes são do Colégio Marista Patamares, em Salvador


 
Um grupo de professores da rede privada de ensino em Salvador foi dar aulas de preto, na última segunda-feira (4/5), em protesto contra as agressões sofridas pelos colegas do Paraná. Em greve naquele estado, 14 trabalhadores da rede pública foram detidos e cerca de 200 feridos pela Polícia Militar, na última semana, em uma manifestação contra a aprovação de mudanças na previdência estadual.
Os docentes da Bahia em luto pelo tratamento dado à categoria são do Colégio Marista Patamares, uma das redes de ensino mais tradicionais da capital baiana. A ação também é, segundo o professor José Braga, que compartilhou uma foto do grupo vestido de preto nas redes sociais, uma manifestação de solidariedade aos colegas paranaenses.
“Aqui no colégio [estamos] solidários com professores do Paraná! Não se bate em quem ensina nossos filhos”, diz a legenda da foto compartilhada pelo professor José Braga, no Facebook.
As mudanças no sistema previdenciário, aprovadas pela Assembleia Legislativa do Estado (AL-PR) e sancionadas pelo governador Beto Richa (PSDB), são prejudiciais para os servidores públicos, segundo os manifestantes. Na ação contra os professores, os policiais usaram balas de borrachas e bombas de gás, e foram defendidos pelo governador.
Os protestos em Curitiba, capital paranaense, continuam. Nesta terça-feira (5), cerca de 10 mil servidores fizeram uma caminhada pelas ruas da cidade, em resposta à ação violenta da PM.
 
 
 
 
 
 
 

PCdoB - Partido Comunista do Brasil - Todos os direitos reservados