Nova reunião da Frente Brasil Popular define lutas prioritárias

Na última segunda-feira (20/05),  em São Paulo, o Coletivo Nacional da Frente Brasul Popular (FBP) se reuniu para o aprofundamento da leitura da conjuntura política e econômica do país. Na mesa de discussões, estavam os deputados federais Orlando Silva (PCdoB) e Alexandre Padilha (PT), e por Clemente Ganz do Dieese.

As discussões convergiram para a ideia de que há uma correlação de forças bastante desfavorável no Congresso, apesar das contradições na base aliada do governo Bolsonaro. As mobilizações do 15M, que levaram milhões de pessoas às ruas em todo país, abriram uma janela de oportunidade para frear a implementação do programa neoliberal.

Contudo, foi definido no encontro que, para que a pressão surta efeito esperado, será necessário garantir uma grande mobilização no dia 30 de Maio, e principalmente, na Greve Geral de 14 de Junho.

A partir das concussões, a FBP elaborou um documento com orientações em torno das principais bandeiras de luta para o próximo período. Abaixo, a íntegra do documento:

 

1-         Bandeiras de Luta:

  1. Educação
  2. A mobilização contra os cortes na Educação surpreendeu todas as expectativas, demonstrando o grande apelo popular que esta pauta tem. Diante do sucesso do 15M as organizações estudantis, com apoio dos sindicatos da educação convocaram um novo dia de manifestações: o 30M.
  3. Para garantir um processo ascendente de mobilização até a Greve Geral é fundamental que a FBP se some no processo de mobilização do 30M. Além disso, é importante associarmos a luta contra os cortes com a luta contra a Reforma da Previdência, fazendo desta data um “esquenta” para a Greve Geral de 14 de Junho.

iii.         Além da mobilização do dia 30, a CNTE está convocando para o dia 31/05, um Dia Nacional de Debates contra o corte de gastos em Educação.

  1. Greve Geral contra a Reforma Previdência
  2. O 15M ajudou a construir uma atmosfera mais favorável para a Greve Geral contra a Reforma da Previdência. Contudo, na medida em que o clima das ruas esquenta, acelera-se a tramitação da Reforma no Congresso.
  3. Deste modo, é fundamental que a FBP se empenha no esforço de greve. Devemos auxiliar na convocação da Greve, principalmente através do abaixo assinado contra a Reforma e utilizando a calculadora da aposentadoria.

iii.         Como forma de convocação é importante gravarmos declarações de religiosos (padres, pastores, mães de santo, entre outros) dando apoio a Greve Geral e disseminarmos nas redes.

  1. No dia da Greve a FBP deve se somar no esforço de trancar a circulação nas estradas e nos centros urbanos nas primeiras horas da manhã. Além disso, deverão ser convocadas manifestações para o final da tarde.

 

  1. Lula Livre
  2. A Campanha Lula Livre continua o seu processo de expansão. Como forma de mobilização permanente o comitê nacional definiu que o último final de semana de cada mês é dia de Mutirão Lula Livre. A orientação é que nesses dias os comitês da campanha, os comitês da FBP, ou os militantes das organizações devem se dedicar a construir iniciativas de diálogo com o povo, distribuir panfletos, bater de porta em porta, etc.
  3. Além disso, a orientação é que cada estado organize um festival Lula Livre, envolvendo os artistas locais.

iii.         Por fim, é importante desenvolver ações de agitação denunciando a prisão politica de Lula durante as paradas LGBTs e as festas juninas.

  1. Soberania e luta contra as privatizações
  2. No dia 13 de Maio, realizou-se uma reunião convocando amplos setores para constituir iniciativas em defesa da Soberania. Além da Frentes Brasil Popular estavam presentes a Frente Povo Sem Medo, Brasil Nação, partidos, parlamentares, centrais sindicais e movimentos populares.
  3. A proposta é que essa articulação possa desenvolver uma campanha de denúncia ao processo de privatização das estatais e dos bens naturais do nosso país.

 

2-         Iniciativas organizativas:

  1. Plenárias municipais e regionais da FBP: diante deste extenso calendário de mobilizações e desse conjunto de bandeiras é fundamental que a FBP organize nos principais municípios ou regionalmente Plenárias. Estas plenárias deverão ter como centro a preparação para o 30M e para a construção da Greve geral no dia 14 de Junho.
  2. Seminário sobre Estado de Exceção e pacote Moro: definiu-se a realização de um seminário para aprofunda a compreensão sobre o Pacote Moro, bem como construir iniciativas conjuntas para denunciar este projeto. Comissão Responsável: UNEGRO, CONEN, ABJD, FBP SP
  3. Seminário Organizativo da FBP: durante a III Conferência da FBP definimos a realização de um Seminário Nacional para aprofundar os desafios da FBP. Foram apontadas duas possibilidades de datas: 19 a 21 ou 26 à 28 Julho. Pedimos aos estados e organizações que se manifestem enviando para o e-mail da secretaria a data mais conveniente entre estas duas
Textos Relacionados
Deixe seu recado