Parlamentares do PCdoB-BA lamentam morte de Paulo Henrique Amorim

O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu na manhã desta quarta-feira (10/07), aos 77 anos, no Rio de Janeiro. Segundo familiares, PHA sofreu um infarto, após participar de um encontro com amigos.

No currículo, o respeitado e experiente jornalista possui passagens por emissoras como a TV Manchete, TV Globo, TV Bandeirantes e TV Cultura. Atualmente,  atuava na Record TV desde 2003, onde apresentou a revista eletrônica Domingo Espetacular.

Recentemente, PHA sofreu uma censura, ao ser afastado do programa da Record, após pressão do governo Jair Bolsonaro, pelas críticas que fazia ao presidente no seu blog, Conversa Afiada.

Paulo Henrique Amorim deixa uma filha e a mulher, Geórgia Pinheiro.

Defensor da democracia

Os militantes do PCdoB estão lamentando a morte do jornalista, considerado um importante defensor dos direitos humanos, da justiça social e da democracia no Brasil. A deputada federal Alice Portugal escreveu: “Paulo Henrique Amorim fará muita falta no jornalismo brasileiro e na luta pela democracia no nosso país”.

Daniel Almeida, líder da bancada comunista na Câmara dos Deputados, afirmou que PHA não será esquecido. “Paulo Henrique Amorim será lembrado como um jornalista resistente, sem medo de falar a verdade, comprometido com o lado certo da história desse país, numa época marcada por tanto retrocesso”.

O deputado estadual Zó disse que recebeu com tristeza a notícia da morte de PHA. “Uma grande perda para o jornalismo nacional e para a democracia”. Já a deputada estadual Olívia Santana escreveu que ele era uma voz corajosa, dissonante na mídia hegemônica.

Também deputado estadual do PCdoB-BA, Bobô afirmou que o país acaba de perder uma voz importante na luta pela democracia e em defesa da liberdade de imprensa.

Textos Relacionados
Deixe seu recado