PCdoB lança ação nacional de arrecadação para as eleições 2020

O Partido Comunista do Brasil lançou, em reunião virtual realizada na semana passada, uma ação nacional de arrecadação financeira. A atividade contou com a participação de 250 pessoas, entre dirigentes estaduais, municipais e pré-candidatos/pré-candidatas do PCdoB nas eleições deste ano.

Sob a coordenação do secretário nacional de Administração e Finanças, Ricardo Abreu Alemão, a reunião teve intervenções da presidenta nacional, Luciana Santos, de Fábio Tokarski (Organização), Adalberto Monteiro (Comunicação) e Oswaldo Napoleão, coordenador da ação nacional de arrecadação. Eles ressaltaram que o êxito da iniciativa só acontecerá com a participação dos dirigentes de todo o país.

Ricardo Alemão fez uma exposição mais centrada na própria ação, anunciou que o tema da campanha será “impulsione a democracia, faça sua doação para o PCdoB e o movimento 65”, com objetivo de fortalecer a presença do PCdoB através das páginas oficiais dos comitês municipais nas redes sociais.

Alemão comentou que fundamentalmente a campanha eleitoral deste ano deverá ocorrer de forma digital. “Como estamos vivendo relativo isolamento social, houve grande impulso na vivência digital. E nestas eleições mais ainda, a campanha será marcada pela internet e atuação nas redes sociais”.

Fundo Partidário e Eleitoral

O dirigente ressaltou o avanço democrático que foi o fim do financiamento empresarial e o funcionamento público e cidadão, da aplicação dos recursos públicos na campanha eleitoral, com a participação das pessoas físicas. Entretanto, segundo o dirigente, os recursos públicos são importantes, mas são insuficientes para cobrir todas as candidaturas em todo o país e, por isso, será necessário fazer uma ação para que o Partido possa arrecadar recursos próprios.

“A nossa meta é arrecadar dezena de milhões de reais de agora até dezembro para a gente superar os recursos públicos. Dessa forma, os dirigentes partidários devem se organizar para ir à luta para captação de outros recursos próprios”, afirmou Ricardo Alemão.

A explanação do dirigente informou que essa ação se dará em duas fases, a primeira perpassa a fase da pré-campanha que vai até dia 26 de setembro, e tem como mote receber as doações para os comitês municipais investirem em suas contas nas redes sociais.

Segundo Alemão, a ideia é que o recurso caia na conta do PCdoB municipal, para dar visibilidade às lutas políticas do partido, defendendo a frente ampla, as gestões públicas, as pré-candidaturas e o Fora Bolsonaro.

A segunda fase da campanha vai do dia 27 de setembro, quando começa a campanha eleitoral propriamente dita, até o dia 15 de dezembro. Somente neste período, contou o dirigente, o municipal pode investir nas candidaturas.

Ricardo Alemão alertou que, conforme a legislação eleitoral, não se pode impulsionar recursos partidários no período da pré-campanha, somente com recursos próprios pode-se fazer a divulgação e o impulsionamento nas páginas virtuais do comitê municipal na internet.

Colaboradores

Com essa campanha, é possível construir uma sólida e permanente rede de colaboradores recorrentes. Essa deve ser o legado dessa ação, expressou Alemão, com “progressiva independência financeira”.

Outro ponto importante, segundo o dirigente, é que, independentemente dessa ação, os dirigentes continuem participando e incentivando a contribuição no Sistema Nacional de Contribuição Militante (Sincom). “Mas agora é focar nessa ampliação de captação, concentrar nesse público externo. Nos simpatizantes, eleitores e amigos com o poder aquisitivo maior”, explicou.

Alemão orienta a necessidade de se buscar as relações políticas com possíveis contribuintes que tenham uma renda maior. “Criar uma relação e comprometer ela com financiamento da campanha e conseguir as doações pontuais ou recorrentes. Esse é o objetivo nosso. É preciso dedicação de cada um”, sublinhou o secretário de Finanças.

 

Com PCdoB nacional

Textos Relacionados
Deixe seu recado