Rui Costa: Conta dos cadáveres será colocada no colo do presidente

Em entrevista à revista Fórum, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou que a responsabilidade das mortes por coronavírus deve ser dada ao presidente, em crítica direta à política conduzida por Jair Bolsonaro em relação à pandemia do coronavírus no Brasil. “É preciso ficar claro: a conta dos cadáveres, a conta de uma convulsão social será colocada no colo do presidente da República. É bom que ele tenha ciência disso”, disse o governador baiano.

Rui ainda defendeu que “o que a gente vê é ele [Bolsonaro] com fósforo e gasolina na mão, incentivando a contaminação dos outros e a continuidade da tensão política”. Ele também comentou sobre a falta de repasses do governo aos estados do Nordeste durante a pandemia do coronavírus, o que tem prejudicado o atendimento dos hospitais públicos da região, e criticou o presidente por sua saída às ruas neste final de semana, dizendo que o mesmo “brinca com a vida humana”.

“Os estados estão com muita dificuldade para conseguir insumos para os hospitais, em especial respiradores. A situação está muito crítica, com escassez inclusive de máscaras para os profissionais de saúde”, conta o governador.

Rui ainda informou que o governo repassou uma quantidade de dinheiro que, na prática, equivale a R$ 2 por habitante. O valor, portanto, é insuficiente para o momento de crise que o estado enfrenta, segundo ele. O governador também criticou o governo por centralizar as compras relacionadas ao coronavírus.

“Não dá para entender essa estratégia do ministério. A centralização faria sentido para comprar mais barato, mas centralizar as comprar e reter isso no estoque do governo federa não faz sentido”, conta.

Passeio de Bolsonaro
Ao comentar sobre o passeio de Bolsonaro no Distrito Federal, expondo dezenas de pessoas ao risco de contaminação, Rui Costa diz que se sente revoltado e pede que presidente cumpra seu papel com responsabilidade.

“Cada brasileiro se sente revoltado com a postura de Bolsonaro. Ele fica brincando com coisa séria, brincando com a vida humana, é inadmissível, é revoltante esse comportamento do presidente da República. Cabe a ele coordenar ações para salvar vidas humanas, minimizar os impactos sociais, e ele fica fazendo brincadeira. O que ele fez ontem é uma péssima cena para o mundo inteiro”, comenta.

“O que os governadores querem é que ele sente na cadeira de presidente da República e cumpra suas tarefas com responsabilidade”, continua. “Parece que a gente tá vivendo um grande pesadelo”.

A Bahia registrou o primeiro óbito pela doença neste domingo (29). Segundo o site Bahia Notícias, informado pelo Hospital da Bahia, a primeira vítima do coronavírus na Bahia fez uso de cloroquina durante cinco dias antes da morte. O homem, de 74 anos, ficou internado por 12 dias antes de falecer.

 

Com revista Fórum

Textos Relacionados
Deixe seu recado