Trabalhadores fazem vigília em Salvador contra reforma da Previdência

A Câmara dos Deputados inicia, nesta quarta-feira (10/07), a votação em plenário da reforma da Previdência. Na tentativa de pressionar o voto contrário dos parlamentares, trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias promovem uma vigília na praça da Piedade, no Centro de Salvador, durante todo o dia.

O presidente estadual da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Pascoal Carneiro, afirmou que, além da crítica às mudanças que a proposta propõe ao sistema previdenciário, o ato também é uma cobrança para que o Legislativo federal respeite o ritmo de debates dos projetos.

“O presidente da Câmara dos Deputados está atropelando todo o regimento interno da Casa. Ele está adiantando a votação sem discussão. Pra se ter uma ideia, a comissão que elaborou o texto-base da reforma só realizou 13 audiências. Em propostas complexas anteriores, não se fazia menos do que 40”, explicou Pascoal Carneiro.

A deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) também esteve na vigília, no turno da manhã, e colocou o mandato à disposição da luta contra a aprovação da reforma. Ela criticou a compra de votos de parlamentares pelo governo de Bolsonaro, que custou R$ 2,5 bi já liberados em emendas – e R$ 5,6 bi prometidos e que ainda deverão ser disponibilizados aos parlamentares.

“É triste ver o Congresso nacional se vendendo para ir contra algo que é sólido, que é o nosso direito à aposentadoria, de se aposentar, um dia, com um mínimo de dignidade”, desabafou Olívia Santana.

Pascoal Carneiro acrescentou que a reforma é um “mal para a sociedade e para o país”. A CTB é uma das organizadoras da atividade, junto com as outras centrais sindicais com atuação na Bahia, além da Frente Brasil Popular (FBP) e da Frente Povo Sem Medo (FPSM).

Textos Relacionados
Deixe seu recado