Assassinos de dirigente Sem Terra são presos após 5 anos de impunidade

Uma operação policial realizada na manhã da última quarta-feira (11/07) prendeu quatro pessoas denunciadas como mandantes e executores do assassinato do militante do Movimento Sem Terra (MST), Fábio Santos. A vítima foi assassinada na frente da esposa e filha com 15 tiros, durante uma emboscada no dia 2 de abril de 2013, no município de Iguaí, sudoeste da Bahia.

Na operação, foram presos o fazendeiro Délcio Nunes Santos, o comerciante Márcio Fabiano Cunha Borges e os vaqueiros Arenaldo Novais da Silva e Neuton Muniz da Silva. Na residência dos acusados foram encontradas armas de fogo.

As investigações foram conduzidas pelo Grupo Especial de Mediação e Acompanhamento de Conflitos Agrários e Urbanos da Polícia Civil (Gemacau), que descobriu a existência de uma associação criminosa na região, composta por fazendeiros e pistoleiros que atuavam em Iguai, Ibicuí e Nova Canãa. A denúncia destaca ainda que um dos motivos do crime foi a atuação da vítima em defesa da Reforma Agrária.

Continuam foragidos o fazendeiro Welder Leonardo Gusmão Amaral e Ricardo Neves de Oliveira, apontado pela polícia como executor do crime. O MST avalia que a fuga dos dois denunciados se deu em consequência da divulgação prévia do pedido de prisão feita pelo Ministério Público do Estado da Bahia, e entende que a divulgação foi inapropriada.

O MST exigiu das autoridades que as buscas para localizar e prender os foragidos aconteçam com urgência.

 

Com PT Bahia

Textos Relacionados
Deixe seu recado