“Adiar o Enem deve ser uma luta de todos”, diz Rui Oliveira, da APLB

A APLB-Sindicato, que representa os trabalhadores em Educação da Bahia, ingressou com uma ação na Justiça para adiar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Segundo Rui Oliveira, coordenador-geral da entidade, a manutenção das datas das provas expõe as desigualdades sociais do país, que foram acentuadas nesta pandemia.

“Não podemos tratar essa questão como se todos os estudantes fossem iguais, vivemos uma desigualdade social muito grande e a maioria dos estudantes da escola pública, cerca de 82%, vai ser prejudicada em detrimento de uma minoria que está nas escolas particulares. A Educação é um direito de todos e um dever do Estado”, disse Rui.

Termina nesta terça-feira (19/05) o prazo dado pela Justiça para que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) se pronuncie sobre a ação de suspensão do calendário do Enem. O pedido de liminar do sindicato foi feito no Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Rui Oliveira defende que adiar o Enem é uma pauta que deve unir toda a sociedade. “A luta da APLB tem ganhado força. Temos o apoio do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nelson Leal; de todas as universidade e entidades ligadas à Educação […] Adiar o Enem deve ser uma luta de todos”, finalizou.

O Enem 2020 vai contar, pela primeira vez, com provas digitais, marcadas para os dias 22 e 29 de novembro. As provas tradicionais deverão ser aplicadas nos dias 1 e 8 de novembro, segundo o calendário do Inep.

Textos Relacionados
Deixe seu recado