Brasil tem alto índice de ‘nem-nem’, que não procura trabalho nem ajuda em casa

A taxa de jovens do Brasil que não estudam nem trabalham, os chamados “nem-nem”, é de 23%, maior que a média da América Latina e Caribe, segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apresentado nesta segunda-feira. O levantamento mostrou que, naquela região, 21% da população com idade entre 15 e 24 anos fazem parte do grupo sem trabalho ou estudo — o equivalente a 20 milhões de pessoas.

Apenas El Salvador (24%) e México (25%) têm indicadores superiores ao brasileiro. Os outros quatro países pesquisados exibem proporções menores: Chile (14%), Colômbia (16%), Haiti (19%) e Paraguai (15%).

A pesquisa revelou também que os nem-nem do Brasil têm o índice mais elevado, no universo pesquisado, de jovens completamente ociosos. Cerca de 12% não fazem tarefas domésticas, não ajudam em cuidados familiares ou em negócios dos pais, e também não procuram emprego.

Na América Latina e Caribe, essa taxa é de apenas 3% dos nem-nem.

 

Fonte: Conversa Afiada

Textos Relacionados
Deixe seu recado