Jandira: É preciso revelar com quem miliciano falou antes de morrer

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) levantou questões essenciais que devem ser levadas em consideração na investigação sobre a morte do miliciano carioca Adriano da Nóbrega. Ligado à família Bolsonaro e investigado no caso Marielle Franco, Adriano foi morto neste domingo (09/02), na zona rural do município de Esplanada, na Bahia, no sítio de um vereador do PSL, Gilsinho da Dedé.

Através da conta que possui no twitter, a parlamentar comunista defendeu que é preciso investigar os celulares apreendidos, a fim de descobrir com quem o miliciano se comunicava. Morto em um suposto confronto com os policiais, o miliciano foi encontrado, segundo a Secretaria de Segurança Pública baiana, com 13 celulares, além de quatro armas.

“Algumas perguntas ficam no ar para os investigadores sobre Adriano Nóbrega. Estava com celular? Para quem ele ligou durante todos esses tempos? Ou recebeu chamada…”, escreveu Jandira Feghali.

Textos Relacionados
Deixe seu recado