Movimento Cubano pela Paz faz chamado pelo desarmamento nuclear

A tragédia ocasionada pelas bombas atômicas lançadas em agosto de 1945 contra as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki deve motivar a comunidade mundial a encontrar o caminho do desarmamento nuclear, advertiu hoje o Movimento Cubano pela Paz.

Em entrevista com a Prensa Latina, o presidente do Movimento, Silvio Platero, recordou que os Estados Unidos realizaram então bombardeios sem nenhuma razão tática ou estratégica, porque a Segunda Guerra Mundial tinha praticamente acabado, com saldo de mais de 200 mil mortos e um letal impacto em gerações posteriores.

O lançamento dessas bombas em Hiroshima e Nagasaki deu lugar a uma desenfrenada corrida pela obtenção da arma nuclear por parte das potências que emergiram triunfantes da conflagração, advertiu.

De acordo com Platero, depois de 73 anos do crime, o cenário não pode ser mais preocupante, a partir da existência de 14 mil armas nucleares, delas uma 3.200 prontas para ser disparadas.

Sílvio Platero destacou a recente visita a Cuba do Cruzeiro pela Paz, embarcação a bordo da qual viajam os chamados hibakushas (sobrevivientes do bombardeio realizado pelos Estados Unidos contra as cidades japonesas).

Eles eram crianças em tenra idade quando ocorreu a tragédia, mas seus depoimentos são assustadores e confirmam ao mundo a importância de eliminar os letais artefatos, afirmou.

Para Platero, não há tempo a perder nos esforços para conseguir um planeta livre das armas nucleares e da ameaça que estas representam para a sobrevivência humana.

Desde o Movimento Cubano pela Paz e a Soberania dos Povos, chamamos a trabalhar sem descanso nessa direção, sentenciou.

 

Fonte: Resistência

Textos Relacionados
Deixe seu recado