Notícia

Daniel: Com Bolsonaro, a insegurança alimentar volta a assolar o país

21 setembro, 2020

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (17/09) a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), que revela que a fome voltou a crescer no país e atingiu 5% da população de 2017 a meados de 2018, ou seja, 10,3 milhões de brasileiros. Na prática, significa que quatro em cada dez famílias não têm acesso regular a uma quantidade e qualidade suficiente de comida, precisando limitar o tipo ou a porção dos alimentos que vão à mesa ou até passar fome.

Os dados reforçam os prejuízos causados pelo golpe contra Dilma Rousseff, em 2016, que impôs ao Brasil uma agenda ultraliberal, baseada no corte de investimentos e de direitos sociais e trabalhistas. Além da vigência da Emenda Constitucional 95, que impôs o Teto dos Gastos, com congelamento de investimentos por 20 anos, em vigor desde o governo Michel Temer e apoiada por Jair Bolsonaro mesmo num cenário de pandemia. E botam em xeque um país que já chegou ser destaque em ações para erradicação da fome, e que, em 2014, finalmente saiu do Mapa Mundial da Fome, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o IBGE, dos 10,3 milhões de famintos no país, 7,7 milhões viviam em zonas urbanas e 2,6 milhões em regiões rurais. “A fome voltou a se alastrar no Brasil e com ela a tristeza, principalmente nas zonas rurais e nos lares nordestinos. O levantamento não leva em consideração as pessoas em situação de rua, o que nos leva a conclusão de que esse número é ainda maior. É um dado triste, mas inaceitável, a alimentação deve ser um direito básico de todo brasileiro. A insegurança alimentar é uma realidade que assola o país”, destacou o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA).

Vale lembrar que há pouco mais de um ano, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a fome no Brasil seria uma “grande mentira”. “Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora, passar fome, não”, afirmou o presidente na ocasião.

 

Fonte: Ascom/ Daniel

PCdoB - Partido Comunista do Brasil - Todos os direitos reservados